Caça às baleias? De novo?

baleia_desenhada.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Portugal pressionado para salvar baleias enquanto decorrem conversações secretas na Comissão Baleeira Internacional para recomeçar caça à baleia
24 de Novembro de 2004

Contacto para Imprensa - Miguel Moutinho – 96 235 81 83 (Dir. Executivo da ANIMAL)

A WhaleWatch – uma coligação de 140 organizações não-governamentais de mais de 55 países representada em Portugal pela ANIMAL – está a pedir ao Governo Português que declare publicamente a sua oposição à caça comercial às baleias, enquanto uma delegação portuguesa se prepara para participar numa reunião que decorre esta semana na Suécia, para finalizar os planos para que esta caça seja retomada.

Representantes governamentais de Portugal e de outros países reunir-se-ão num encontro fechado da Comissão Baleeira Internacional (CBI), que decorrerá em Borgholm, Suécia, entre 29 de Novembro e 1 de Dezembro. Este encontro tem como objectivo estabelecer um acordo acerca de um controverso pacote de medidas – o Sistema de Gestão Revista (SGR) – que visa levantar a proibição actualmente vigente da caça comercial às baleias.

Falando em nome da WhaleWatch, Miguel Moutinho, Director Executivo da ANIMAL, comentou, “Qualquer acordo acerca da caça às baleias não é mais do que um apoio internacional à crueldade desnecessária. O SGR irá dar carta branca à caça comercial às baleias. É tão simples quanto isso. A questão coloca-se nestes termos: o Governo Português quererá o sangue das baleias nas suas mãos, ao apoiar o recomeço de uma indústria desnecessária e assim condenar incontáveis milhares de baleias a uma matança cruel?”.

Portugal, membro da Comissão Baleeira Internacional, está, aparentemente, a preparar-se secretamente para se declarar de acordo com o recomeço da caça comercial às baleias. Numa reunião da CBI em Julho deste ano, Portugal foi um dos países que votou a favor de uma resolução que pede que as negociações acerca do Sistema de Gestão Revista estejam terminadas a tempo desta medida ser considerada para possível adopção na reunião da CBI em 2005, na Coreia do Sul.

“Com menos do que uma mão cheia de votos a serem precisos para agitar o balanço entre os países que se opõem e que apoiam a caça às baleias no seio da Comissão Baleeira Internacional, o futuro das baleias no mundo está em risco e a ser decidido como nunca antes. O destino das baleias no mundo está agora nas mãos dos representantes governamentais de Portugal e de outros países, que participarão na reunião da próxima semana”, declarou Miguel Moutinho.

As dificuldades inerentes a conseguir matar imediatamente baleias – o que, supostamente, seria menos cruel e que é alegado pelos defensores da caça às baleias – são evidentes, atendendo ao facto de, na caça às baleias – seja comercial ou supostamente científica –, a duração média estimada para a morte dos animais acontecer é de mais de dois minutos, com várias baleias a levarem mais de uma hora para morrerem.

www.WhaleWatch.org

*TAGS são temas do blog :
publicado por LauraBM às 15:37