Fale comigo! (clique)

laurabmartins.blogs.hotmail.com

*Espreitar no blog

 

Antiguidades óptimas

UTOPIA ANIMAL

“Sem defesa, sem voz e sem protesto, os animais vão sumindo, um a um, abatidos, baleados , encurralados em becos sem saída, banidos até os limites dos campos habitáveis.
Antes que tudo se perca, é necessário acordar do pesadelo para que possamos continuar sonhando.
Trabalhar com o inconsciente, compreender a verdade profunda dos instintos e da alma, perceber a presença do divino dos olhos de um animal.
Essa talvez seja a última utopia pela qual ainda possa valer a pena dedicar uma vida de estudo e trabalho”.
--------------------
Sociólogo Roberto Gambini
Terça-feira, 11 DE Outubro DE 2011

HISTÓRIA VERDADEIRA - APÓS O TORNADO

A história começa quando os voluntários encontraram um pobre cão a quem deram o nome de Ralphie. Ralphie, assustado e esfomeado, juntou-se aos seus salvadores
Pensávamos que nada sobreviveria após isto... mas estávamos enganados.
Uma pequena "senhorita", (cadela), também sobreviveu à desgraça e foi acomodada no carro - assustada mas segura.
Eles já não estão sozinhos.
Ficam amigos instantaneamente, confortam-se um ao outro no carro enquanto adicionavam mais dois cães beagles encontrados.

 

E vem também um gato!
E agora então, um novo viajante para juntar à turma...
(nota: o gato entra directo para o banco traseiro, como que necessitando aconchego...)
e agora, como é que isto vai funcionar??? Cães e o gato juntos???
(e lembrem-se : eles são todos estranhos uns aos outros)

Uau! As coisas que nós aprendemos com estes nossos amigos...
Se a humanidade pudesse aprender lições tão valiosas como esta.
Lições de amizade instantânea - de paz e solidariedade.
De harmonia pela via do respeito mútuo, sem olhar a cor, raça ou religião! 
Estes bichinhos nos dizem: "o que interessa é que estamos vivos e não estamos sós".
Sim, é com certeza isso!
Por isso... vive, ama, rí. 
 

Nota de Luiza De Resende Braga:

Vivemos numa região de tornados constantes. Na porta da nossa geladeira temos um lembrete aos salva-vidas para salvarem nossas gatinhas: Honey e Cassey.
A vida é um presente... desembrulha-o!  
-------------------------

5/12/2007

Castelo dos Sonhos

*TAGS são temas do blog :
publicado por LauraBM às 18:41
Quinta-feira, 07 DE Outubro DE 2010

Making of Globo Repórter

Um programa sobre gente!

 

A equipa estava sem fome, era cedo, bem antes de meio-dia. Mas tínhamos de almoçar ali mesmo, num restaurante às margens da rodovia que liga São Paulo a Cotia, porque nosso compromisso no Rancho dos Gnomos, onde conheceríamos um santuário de grandes felinos africanos, seria por volta das 13h.

O garção não conteve a curiosidade: "Vocês são do Globo Repórter? E é sobre gente ou sobre bicho?".

Meu primeiro ímpeto foi dizer que “animais abandonados” era o tema do nosso programa. Mas a pergunta do garção foi como um sopro de lucidez entrando numa frincha da percepção, elucidando o que estava inteiramente oculto.
Então respondi, convicto: "É sobre gente, amigo. É sobre a natureza humana".

À medida que fomos filmando pássaros com asas amputadas, leões com garras arrancadas, chimpanzés com presas serradas e todo tipo de sequelas da violência contra os animais, fui me convencendo de que eu estava certo. Estávamos fazendo uma reportagem sobre o quanto as pessoas, ao odiarem uma outra forma de vida, podem negar sua própria humanidade. E também sobre como podem honrá-la ao amar os animais.

No longínquo ano de 1206, em pleno vigor do espírito feudal que punha suseranos e vassalos em esferas incompatíveis de convivência, um certo Francisco de Assis abandonou os castelos que frequentava, desfez-se de suas posses, despiu-se até mesmo de suas vestes e foi viver entre os pobres.
Poeticamente, chamava o sol de irmão e a lua de irmã. E dizia que nada define melhor a condição humana do que a capacidade de amar os bichos.

Não é preciso ser religioso ou acreditar em São Francisco de Assis para saber, mesmo 801 anos depois, que o que nos torna diferentes, o que nos torna especiais, o que nos torna magnânimos em comparação com as outras formas de vida, é a nossa capacidade de amar.

Homens e mulheres têm de sobra as ferramentas do afecto, forjadas na cultura e na vida em sociedade. A tolerância, a generosidade, a ideia de que temos um futuro comum neste planeta são princípios universais conquistados pela Humanidade em sua dura luta contra a barbárie. Não gostamos da solidão, não queremos a dor, não toleramos a humilhação. Se somos egoístas, se ferimos e matamos, se submetemos nossos semelhantes ao vexame da miséria e da pobreza, estamos em desacordo com o esforço civilizacional da convivência. Civilizado convive, respeita, tolera. Os bárbaros subjugam. Tanto faz se os subjugados são gente ou bicho.

Vimos leões entrevados pelo confinamento, chimpanzés esquizofrénicos e atormentados por anos de espancamento, araras cegas, onças mutiladas e todo tipo de sofrimento e privações. Parece a vitória da barbárie. Não é. Porque vimos também extraordinários exemplos de generosidade e dedicação. A grandeza de saber amar e proteger seres vivos que, como nós humanos, também sentem frio, dor e medo, ajuda a

recuperar a humanidade que ainda há em cada um de nós.

Basta ver o que o Rancho dos Gnomos http://www.ranchodosgnomos.org.br/ fez com o leão Will.
Abandonado por um circo e tendo vivido a vida inteira trancafiado, Will pôde, aos 13 anos de idade, pisar na terra pela primeira vez. Esfregando as patas na grama, no húmus, na energia mineral da natureza, livre da
superfície inócua do chão da jaula, Will nos enche de ternura, nos entope de compaixão e, portanto, nos ajuda a salvar um pouco da humanidade que tínhamos perdido.
--------------------------
Marcelo Canellas (repórter)

*TAGS são temas do blog :
publicado por LauraBM às 01:33
Sábado, 10 DE Outubro DE 2009

História verdadeira - Após um tornado...

animais_resgatados.jpg

A história começa quando os voluntários encontraram um pobre cão a quem deram o nome de Ralphie.

 

Ralphie, assustado e esfomeado, juntou-se aos seus salvadores.

 

Pensávamos que nada sobreviveria após isto... mas estávamos enganados. Uma pequena "senhorita", (cadela), também sobreviveu à desgraça e foi acomodada no carro - assustada mas segura.

 

Eles já não estão sozinhos. Ficam amigos instantaneamente, confortam-se um ao outro no carro enquanto adicionavam mais dois cães beagles encontrados. E vem também um gato! E agora então, um novo viajante para juntar à turma... (nota: o gato entra directo para o banco traseiro, como que necessitando aconchego...) e agora, como é que isto vai funcionar??? Cães e o gato juntos??? (e lembrem-se : eles são todos estranhos uns aos outros)

 

Uau! As coisas que nós aprendemos com estes nossos amigos...

Se a humanidade pudesse aprender lições tão valiosas como esta. Lições de amizade instantânea - de paz e solidariedade. De harmonia pela via do respeito mútuo, sem olhar a cor, raça ou religião!

Estes bichinhos dizem-nos: "o que interessa é que estamos vivos e não estamos sós". Sim, é com certeza isso!

Por isso... vive, ama, rí.

 

Nota de Luiza De Resende Braga: Vivemos numa região de tornados constantes. Na porta da nossa geladeira temos um lembrete aos salva-vidas para salvarem nossas gatinhas: Honey e Cassey.

A vida é um presente... desembrulha-o!

-------------------

5/12/2007

Castelo dos Sonhos

*TAGS são temas do blog :
publicado por LauraBM às 21:13
Sexta-feira, 10 DE Abril DE 2009

A lata dos espanhóis!

Sabendo que o cão é português, reparem na notícia.....
http://www.elmundo.es/elmundo/2009/04/12/internacional/1239569960.html  

 

Un inquilino ibérico en la Casa Blanca
 

Obama acaricia a 'Bo' en presencia de su familia. | Reuters
La mascota del presidente de EEUU es autóctona de la Península Ibérica
Es de la misma familia que el perro de agua español, pero más grande
Originariamente, recibía el nombre de 'turco andaluz' y era perro de pastores
No suelta pelo y es perfecto para alérgicos, como la hija pequeña de Obama
Daniel G. Lifona |
Actualizado domingo 12/04/2009 22:59 horas
Disminuye el tamaño del texto
Aumenta el tamaño del texto
El presidente de Estados Unidos, Barack Obama, compartirá desde ahora su residencia oficial con un inquilino de raza ibérica. 'Bo', la nueva mascota de las hijas del mandatario, es un perro de agua portugués, autóctono de la Península Ibérica y emparentado con el perro de agua español.

 

"El perro de agua portugués y el español son primos hermanos, proceden del mismo tronco y originariamente recibían el nombre de 'turco andaluz', porque son originarios de Turquía y entraron en la península por Andalucía, con los comerciantes árabes de ganado", asegura Simón García, responsable de la página web perrodeagua.com.
De hecho, García está convencido de que si los Obama conocieran las diferencias entre el perro de agua portugués y el español "habrían elegido el español" como mascota. "El perro de agua español es 10 centímetros más pequeño que el portugués, que en el caso de los machos llega hasta los 57 centímetros de altura a la cruz y lo considero un perro grande", explica García. "El perro de agua español tiene un tamaño medio que lo hace más manejable y apropiado como mascota", añade.

 
'Bo', la mascota de los Obama. | AP
La familia Obama ha elegido un perro de agua portugués porque, al igual que el español, no suelta pelo y es perfecto para personas alérgicas, como Malia, la hija mayor del presidente. "Tiene un pelo de textura lanosa que si está perfectamente desparatizado y limpio es el más adecuado para convivir con personas alérgicas", confirma García.
Pero además de ser hipoalergénico, el perro de agua portugués tiene otras cualidades que le han hecho ser el elegido por los Obama. Según Simón García, "es un tipo de perro muy sociable, alegre, cariñoso, inteligente, fácil de educar e ideal para perro de compañía".
La prueba de que "no es un perro tozudo y que aprende a la primera" es que el perro de agua, tanto el portugués como el español, es muy utilizado por cuerpos de bomberos y de policía para la búsqueda de víctimas de terremotos, para la detección de droga e incluso para rastrear rastos de sangre.
A pesar de ser una raza vinculada históricamente a la transhumancia y el pastoreo, es un perro polifacético y capaz de desempeñar diversas tareas. Los marineros portugueses lo han utilizado para recoger objetos del fondo del mar y también como perro guardián. "El perro de agua portugués es más serio que el español por haberse dedicado a la guarda de las embarcaciones", señala García.
El perro de agua español se ha convertido actualmente en la estrella de las razas caninas autóctonas de España en número de inscripciones, por lo que está desplazando a otras muchas razas. Sin embargo, su pariente portugués está más extendido fuera de España porque fue registrado en los libros caninos de Portugal mucho antes que en España.
En Estados Unidos existen numerosas sociedades de perros de agua portugueses y el senador demócrata Edward Kennedy es un gran enamorado de esta raza. Él fue quien regaló 'Bo', de seis meses, a la familia Obama.

*TAGS são temas do blog : ,
publicado por LauraBM às 00:24
Sexta-feira, 10 DE Outubro DE 2008

A importância da CASTRAÇÃO!

dalmatas4.jpgCastração é um acto de amor!

Não castrar gera o abandono e a superpopulação de animais nas ruas!

Muitos são vítimas de maus tratos, outros morrem por atropelamento, mutilações, doenças, crueldade e diversas barbáries que você nem imagina, histórias que não terão um final feliz!

 

Não queremos a extinção dos animais!

Com a castração esperamos um controle de natalidade, onde se evitariam centenas de animais abandonados, sofrendo nas rua e mais centenas de animais que são sacrificados diariamente nos CCZ.

 

A Castração é um benefício para o animal, além do que já citamos, ela evita doenças como a piometra, infecção do útero e ovário que pode levar a óbito, doenças hormonais, entre outras.

Nos machos e fêmeas diminui a incidência de brigas e nos felinos reduz em 70% o cheiro da urina que por vezes pode ser desagradável.

----------------------------------------

http://www.patinhasonline.com.br/

*TAGS são temas do blog : ,
publicado por LauraBM às 20:36
Sexta-feira, 12 DE Outubro DE 2007

Recuperação dum tigre maltratado

tigresdebengala.gifProcurando colaborar de alguma forma com o notável trabalho, de acolhida e amparo a animais abandonados ou vítimas de maus-tratos, realizado pelo Rancho dos Gnomos, especificamente em relação ao tigre, a PEA desenvolveu a Campanha SOS Bengalinha, a qual se destinou a angariar recursos que foram aplicados na construção da casa do tigre Bengalinha.

A Campanha SOS Bengalinha iniciou-se no dia 28/01/04 e terminou 30/04/04. Graças a união e a colaboração de todos conseguimos arrecadar R$ 23.779,00. Valor superior ao estimado pela campanha para a conclusão das obras! Todo o valor excedente foi repassado directamente para o Rancho dos Gnomos.

Mesmo diante desse resultado maravilhoso, vale lembrar que o Rancho dos Gnomos ainda necessita de patrocínio e apoio para dar continuidade ao trabalho de proteção e bem-estar animal, tendo por principal objetivo receber, recuperar e reabilitar toda e qualquer espécie animal.

O Bengalinha
O Bengalinha é um Tigre-de-Bengala (Panthera tigris), com cerca de 3 anos de idade, aproximadamente 220 quilos, medindo em torno de 2,50 metros de comprimento, condenado a viver o resto de sua vida em cativeiro, vítima do desrespeito e da insensibilidade.

Não se sabe ao certo onde Bengalinha nasceu. Acredita-se que foi num circo. Ainda recém-nascido, ele foi separado dos pais e levado para um zoológico no interior de São Paulo, onde era considerado "animal excedente" e não recebia tratamento adequado. 

Em 2001, Bengalinha foi acolhido e socorrido pelo Rancho dos Gnomos, onde chegou em péssimas condições de saúde. Muito debilitado, desnutrido e acometido de sarna e micose por todo o corpo. Mesmo sem condições adequadas, o Santuário improvisou um abrigo para o animal e desenvolveu um intensivo processo de tratamento que se estendeu por dois meses.

Hoje, o Bengalinha está totalmente recuperado e em perfeito estado de saúde, mas por ter nascido em cativeiro sua introdução em habitat natural é impossível. Infelizmente essa é a triste realidade de muitos animais que vivem sendo explorados em circos e zoológicos.

Com a Campanha SOS Bengalinha, a PEA arrecadou fundos suficientes para finalizar o novo recinto do tigre, o qual tem uma área de aproximadamente 400m² e conta com ambientação própria para um animal dessa espécie e porte (tanque para banho, gruta e desnível de terreno). Bengalinha dispõem agora de maior segurança e continua com o acompanhamento do seu tratador e de profissionais nas áreas de veterinária e biologia.

Graças a colaboração de todos, Bengalinha hoje está muito feliz com sua casa nova. Mais que isso, Bengalinha agora terá uma vida mais digna protegido de todo e qualquer tipo de crueldade.

Agradecimentos
Gostaríamos de agradecer imensamente a imprensa em geral, e a todos que contribuíram, apoiaram, ajudaram, divulgaram e torceram pelo sucesso da Campanha SOS Bengalinha! A todos vocês o nosso Muito Obrigado em nome do Bengalinha!

*TAGS são temas do blog :
publicado por LauraBM às 00:01
Terça-feira, 10 DE Outubro DE 2006

Conheçam a Lady da ACCG, no RJ, e sua história ...

ladydegolada.jpgLady quase foi degolada pelo uso de uma "coleira improvisada", para evitar que incomodasse um vizinho. Ela está na minha residência, por falta de espaço na ACCG.
Está praticamente recuperada e ainda se observa a marca.
Já está esterilizada, bastante saudável e pronta para uma adopção.
É meiga e companheira, convivendo naturalmente com meu cão e gatinhos.

Por favor, ajude a ACCG a obter lares para os que já sofreram tanto.
Repasse este link, pelo que agradeço de coração !
Indique nosso site para os amigos, pois estamos necessitando de ajuda.
www.casadocaoegato.com.br
-----------------
4/08/2006
Barbara Ribeiro

*TAGS são temas do blog : ,
publicado por LauraBM às 22:39
Quinta-feira, 05 DE Outubro DE 2006

Casa do cão e do gato

cao_cadeiraovelho.jpgFui visitar a página da Casa do Cão e Gato, no Rio de Janeiro, graças a indicação da minha amiga Sônia Catharina.
No link http://www.casadocaoegato.com.br/instal.html das instalações, vi todas as fotografias da Associação e dos animais.
Copiei e colei o artigo abaixo, enquanto pensava nos bondosos corações que os amparam agora.
E acreditem que em todas as Associações é igual. Sim, em Portugal também!
Sofás e cadeirões meio rasgados, cobertores e cobertas de cores desmaiadas por tanta lavagem e animais lindíssimos que nos admira estarem ali. Tudo igualzinho!!!!!!!
Até os rostos das pessoas, um tanto traumatizados por observarem diariamente tanta maldade dos humanos e sofrimento dos bichos. Tudo igualzinho!!!!!!!!!!
Visitem! Não tenham receio de ficarem aborrecidos. Afinal, não podemos viver alheados de tudo, em prol do n/bem estar.
E já agora, ajudem! Faz bem à alma e ao coração!
Objectos, dinheiro e comida são sempre bem-vindos, além de ofertas de trabalho, porque ele é muito, acreditem; e quem o faz também tem vida particular e necessita de descanso!
------------------
4/08/2004
Laura B. Martins
=======================

Vocês podem pensar... Pois é, pessoal... Vendo as fotos de nossas instalações acima, alguns de vocês podem pensar:
"Pôxa, esse abrigo vai bem, não precisa de meu apoio! Até caminhas eles colocam lá! Vou ajudar outro local que precise mais..."
É um enorme engano!!!
Desde o lançamento de nosso primeiro site, sempre seguimos uma linha alto astral. Procuramos mostrar que, graças ao seu apoio, os animais são recuperados e podem receber uma nova chance.
Não pensem que chegam como nas fotos inseridas aqui, lindinhos, bem cuidados...
Chegam das formas mais cruéis, nos fazendo duvidar de que sejamos nós, humanos, os verdadeiros racionais. Temos fotos muito, muito deprimentes, mas optamos por deixar apenas nos nossos arquivos.
Motivo?
Precisamos mostrar que a sua ajuda FAZ diferença!
Que por menor que você possa pensar que será seu donativo, ele será do maior valor para nós!

Tenha certeza que a grande maioria não tem a chance de ser recolhido e recuperado.
Vão para os CCZs, morrem de fome, frio, nas chuvas, atropelados, espancados...

Lembre-se que para nossas fotos ficarem "bonitas", passamos por um longo caminho até uma recuperação, o que muitas vezes não acontece. Alguns animais já chegam tão abatidos e feridos que apesar de lutarmos por eles, partem para o outro lado do arco-íris.

Nada substitui um lar, um colo e amparo, mas graças ao apoio que recebemos, quando acontece de perdemos algum animal, estes partem aconchegados, acompanhados, aquecidos, medicados.
Estes recebem de nós, humanos, um olhar que pede desculpas, perdão pelo que passaram.
Quem sabe um dia, nos perdoem. Aliás, são tão generosos, que nos passam a sensação de que, apesar de todas as dores, nunca deixarão de nos amar.
Ficam em nosso colo, a respiração vai ficando mais fraca, aquele silêncio vai chegando, e nos dão uma última lambida, parecendo agradecer por terem estado ao nosso lado...
É por essa "troca de olhares" que lutamos, a cada dia.

No nosso site, você verá nos olhos de cada peludo, a mais pura esperança. Olhares que não sabem o que é rancor, apesar do que já sofreram, e te dão sempre uma nova chance!
Nunca deixem de acreditar que só vocês podem realizar a mudança!
Basta acreditar, basta fazerem a sua parte, conscientes de seu papel em nossa sociedade.
Não abandone. Cuide. Não maltrate. Ampare.
Não deixe de esterilizar, pois isto também é AMOR!
http://www.casadocaoegato.com.br/
© Associação Casa do Cão & Gato - 2003

*TAGS são temas do blog :
publicado por LauraBM às 23:25
Quarta-feira, 05 DE Outubro DE 2005

Reflexões sobre o Tema:

 

A SENSIBILIDADE QUE AS PESSOAS ATRIBUEM ÀS PLANTAS
homem_comerperna.jpgTodo vegetariano já foi questionado em sua vida sobre isso, o tema não é novo, mas está sempre nascendo na cabeça de alguém que, por acaso, ouviu falar isso ou aquilo sobre as plantas.
Muitos indagam:
Vocês não comem animais, mas e as plantas, afinal, elas também sentem dor.

Particularmente já me deparei com argumentos melhores, mas vamos lá, tirar da cabeça dessas pessoas suas dúvidas e mostrar-lhe na realidade, o que elas pensam quando perguntam tal coisa.
Há também aqueles que discutem um algo a mais que, segundo eles compreendem, as plantas além de sofrerem, são sencientes. O engraçado é que muitos sequer conseguem aceitar que os animais sejam seres sencientes, porém defendem energicamente nossas irmãs plantas.
Conheço alguns vegans que disseram que tais pessoas agem de má fé, ou seja, fingem se interessar pelas plantas para poderem, nessa disputa de argumentos, continuarem a desprezar e a ingerir vísceras de animais, num pensamento , creio eu, mais ou menos assim:
" Se você come animais, não deveria comer plantas, e se come plantas, também faz mal à elas. Eu por exemplo, pesando os dois aspectos, sei que ambos possuem sensibilidade, por isso não há mal nenhum em ingeri-los, já que, tanto um quanto o outro sofrem igual."

O primeiro item a usar como base para essa discussão é:
Não se afastar do tema principal, ou seja, os animais e seu sofrimento.
O segundo é, qual dos dois seres possui maior capacidade de relacionamento homem-animal, ou seja, qual deles, comprovadamente, é mais senciente?
Nós temos cães como companheiros ou um pé de alface, a lógica aqui é raciocinar apenas levando-se em conta a senciência de ambos os seres vivos, afinal quem faz essa pergunta não passa a vida acariciando alfaces ou falando com elas.
Dos males o menor, só essa frase bastaria para vencer esse argumento. O animal sofre, eu vejo, a planta eu apenas imagino.

Agora, pensando mais racionalmente, a tese de que as plantas são realmente sensíveis, viria mesmo a calhar, pois apoiaria ainda mais o não-consumismo da carne animal.
Genial tal argumento:
"Se você se preocupa com a sensibilidade das plantas, faria ainda melhor com a sensibilidade dos animais, já que a olhos vistos, eles parecem sofrer mais do que elas." (levando-se em conta de que, quem perguntou realmente se importa com tal sofrimento e não fez a pergunta apenas por fazer ou para "testar" uma resposta)
Mais uma vez estaríamos usando a velha frase, dos males o menor, ou seja, melhor deixar o consumo de carne animal, que sente superiormente mais dor, e passar a ingerir vegetais ,do que ao contrário.

Claro que nem todos perguntam por má fé, há, e são muitas, pessoas que realmente acreditam na sensibilidade das plantas, eu também creio, já que em tudo há vida, tudo há sensibilidade e volto a perguntar:
Diante de teus olhos, qual sensibilidade lhe dói mais?
Você é capaz de debulhar uma espiga de milho, ou cortar brócolis e atirá-los dentro de um caldeirão de água fervente, mas faria isso, tal qual como falei, a um coelho, um boi, um porco ou um cão?
Já olhou nos olhos de um brócoli quando passa a faca em seu corpo? Qual a sensação?
Já olhou nos olhos de um animal que está sendo morto, qual a sensação?
Entenda bem que é a "Sua" sensação diante da morte de um animal.
Entre plantas e animais, segundo nos diz a ciência, qual deles possui o SNC (sistema nervoso central) mais complexo?
Músculos sensíveis a dor, visão sensível a queimaduras, estômago sensível a experimentos, etc, etc.
Não sabemos se as plantas possuem córtex cerebral ou lóbulos cerebrais como homens e animais, aos quais, comparativamente o DNA está mais próximo.
Dos dois seres em questão, qual deles tem maior individualidade, raciocínio, senciência/consciência?
As plantas sofrem ?
Os animais não?
Afinal me pergunto:
Qual o real motivo dessa pergunta sobre a sensibilidade das plantas?
Querer mostrar aos vegetarianos que eles estão errados ao deixar de comer animais, já que ingerem plantas e elas também sentem dor, ou seja, que são hipócritas ao pensar assim ou...e acredito muito nisso embora não deseje, abster-se de imaginar que os animais que eles ingerem sofrem, de forma que comer um ou outro acaba por não fazer diferença.

Há muitas outras coisas que não são visíveis aos nossos olhos em relação as plantas , porém nos são claras diante dos animais:
Medo de morrer. Sangue derramado nos abatedouros( muita gente cultiva hortas em casa, porém bem poucos cultivam abatedouros). Efeito de reacção diante da dor, capacidades que não foram totalmente provadas pela ciência em relação as plantas, mas que, se fossem, e vamos abrir um vasto campo agora, o que faríamos?
Voltar a comer de animais só porque descobrimos que as plantas sofrem?
De forma alguma, já que devemos usar a lógica da questão que é:
Quem sofre mais diante da morte? Em questões de medo e dor?
Vamos convir que ambos não sofrem igual e isso é fato, SNC, motricidade, lóbulos cerebrais, sinapses. Será que as plantas são mais sensíveis do que os animais?
Mas, vamos supor, que as plantas realmente sintam dor e tenham medo. E nós, míseros mortais, nos abstendo de comer apenas carne, mas somos então um dos grupos mais selectos e mais correctos de todos, já que pensando assim, demos um grande passo para uma grande mudança , porém, não somos os melhores nesse aspecto e perdemos para alguns amigos muito mais adiantados nessa questão do que os crudívoros, vegans e vegetarianos que são nossos amigos frugívoros, que não comem vegetais e se alimentam de sementes e frutos, que não sentem dor já que acabam sendo de certa forma "descartados", já que nascem , amadurecem e caem, se não forem colhidos apodrecem e se sentissem dor, já entraríamos em outro campo, o campo Divino e os motivos pelo qual Ele deixa pobres e inocentes frutas morrerem.

Somos seres buscando a perfeição, ao menos alguns, se não somos ainda perfeitos, temos ciência de que somos melhores que alguns e piores que uns outros, mas demos um importante passo para a nossa mudança e para a mudança do Planeta.
Os vegetarianos deveriam se preocupar com as plantas? Quem nega que um dia seremos todos frugívoros? Quando descobrirmos que as plantas sentem dor, naturalmente mudaremos nossos hábitos, assim como mudamos quando vimos que os animais sofriam, e isso é inegável até para o carnívoro mais ferrenho, que defende as plantas mas nãos os animais.

E para aqueles que acreditam em Deus, acreditam mesmo que um dia ele nos mataria de fome, conforme fôssemos caminhando em sua direcção?
Um último detalhe a acrescentar as pessoas que se preocupam com a sensibilidade das plantas é que, o boi é um animal ruminante, e que no Brasil a agropecuária é de campo, e os bois que virarão bife se alimentam das plantas, ou seja, ao invés de você ajudar ao menos um, está matando duas vidas ao mesmo tempo.
Talvez a mesma discussão, tão difícil de ser compreendida hoje, pelos Direitos Animais, seja travada daqui há alguns anos, séculos, sobre o especismo direccionado as plantas, talvez lá adiante, sejam mesmos os frugívoros que estejam tentando mostrar que as plantas sofrem tal como os animais, e o que faremos? Na certa muitos que já não comem mais animais dirão que os frutos também sentem dor, e a história vai recomeçar, porque toda mudança moral é difícil nos seres humanos, mas elas acontecem, independente de sua vontade.
" A saúde do homem é o reflexo da saúde da Terra".Heráclito

Nessa etapa de nossa caminhada é melhor fazer o bem aquele que,diante de nós, sofre mais, percebe mais e se relaciona mais de forma inteligente connosco. Ajudar o próximo mais próximo, é melhor do que não ajudar ninguém. Preocupar-se com as plantas é pular um degrau necessário que é, antes de tudo, a preocupação com os animais, já que o sofrimento deles urge, e nessa caminhada, tudo está a seu tempo.
Talvez os frugívoros sejam os únicos a terem alcançado uma alimentação totalmente livre de crueldade, os vegans estão fazendo a sua parte e os vegetarianos e os crudívoros as deles.
E você, o que está fazendo em benefício dos animais e do Planeta onde vive?
----------------
05/10/06
Simone Nardi
*TAGS são temas do blog : ,
publicado por LauraBM às 23:24
Quinta-feira, 14 DE Outubro DE 2004

Não às "TOURADAS"

nao-astouradas.gif

Meus amigos!
Para quem quiser saber como é a tourada, do ponto de vista dos animais, acesse este link da Associação ANIMAL.
Ou os homens estão loucos ou Deus se esqueceu dos seres de 4 patas que pôs neste mundo.
Como é que pode existir tal barbaridade, em pleno século XXI?
Se alguma vez achou algo de interessante na Tourada, por favor, veja estes artigos da Associação ANIMAL e pense duas vezes.

E, como se o envolvimento de associações de estudantes universitários neste genocídio não fosse já suficientemente grave, a própria Igreja Católica, nomeadamente através da Rádio Renascença, apoia e organiza touradas em Portugal.
Diversas instituições particulares de solidariedade social estão também envolvidas nesta vergonha, nomeadamente as Santas Casas da Misericórdia, sendo a maioria destas, proprietárias da maior parte das praças de touros portuguesas.
Um dos canais de televisão mais vistos em Portugal, patrocina anualmente uma corrida de touros.
http://www.animal.org.pt/bo/conteudos/index.php?noticia_id=267
-------------------
15/10/2004
Laura B. martins

*TAGS são temas do blog : ,
publicado por LauraBM às 01:31
Quinta-feira, 03 DE Junho DE 2004

Circos-Para quando?

Animaisdecirco_letreiro.jpg
No Brasil, já é proibido circos com animais em:
Atibaia - (SP)
Avaré - (SP)
Batatais - (SP)
Baurú - (SP)
Campinas (SP)
Cotia - (SP)
Itú - (SP)
Pernambuco - (PE)
Porto Alegre - (RS)
Recife - (PE)
*Rio de Janeiro (RJ)
Salto (SP)
Santa Maria - (RS)
Sao Leopoldo - (RS)
Sorocaba - (SP)
Ubatuba - (SP)
--------------------
*Proibido em todo o Estado!!
--------------------

*TAGS são temas do blog : ,
publicado por LauraBM às 01:40

Funcionamento do blog:

Clique sobre cada TAG e verá todos os arquivos correspondentes ao tema respectivo.

*Quentes e bons

  • esses assassinos vao pagar nem que seja no inferno...
  • Parabéns pelo blog, também adoro animais estou con...
  • perfeita postagem... obrigada.
  • uaau! que postagem linda! aliás, todo o seu blog é...
  • mmmmm
  • Cara Roberta,Sinceramente, esse gesto é dum perfei...
  • A escola da minha filha deu como lembrança de dia ...
  • concordo completamente com o autor do post
  • Arnaldo, para chegar a esse estádio de compreensão...
  • Não custa. Pobres dos jacarés a constatarem sobre ...

*Mais badalados